As luminárias, feitas do mesmo sal rosa do Himalaia, são extraídas nas minas de sal de Khewra, no Paquistão. São chamadas de luminárias de sal rosa do Himalaia porque essas minas estão situadas na extensa cordilheira dos Himalaias, que se estende por vários países, incluindo o Paquistão.

As luminárias de sal rosa do Himalaia são 100% naturais. Elas são feitas de cristais rochosos extraídos nas minas de Khewra. São lapidadas e depois recebem uma base de madeira.

As luminárias são feitas do sal rosa, o mesmo usado na culinária. Esse sal é um composto de 84 minerais. Cada luminária é feita a partir de um fragmento dessas rochas de sal. Quando o fragmento apresenta maior quantidade de minério de ferro e manganês, a luminária é mais avermelhada, quando apresenta menor concentração, é mais clara.

São decorativas, deixam o ambiente com uma iluminação aconchegante e relaxante, e são também terapêuticas.

Esse aspecto terapêutico é resultado do processo da ionização.

Ionização é uma reação química gerada pelo encontro da umidade, absorvida pelo sal, com o calor da lâmpada. Quando isso acontece, são liberados no ar os íons negativos, as mesmas descargas elétricas encontradas na natureza – nos pés das cachoeiras, no mar, na chuva e na floresta.

Os íons negativos são muito úteis ao corpo. Eles facilitam a absorção do oxigênio pelas células, fortalecem o sistema imunológico, promovem alívio de dores de cabeça, doenças alérgicas e respiratórias (como asmas, rinites e bronquites).

Como as luminárias são feitas de rocha de sal, elas são muito resistentes e dificilmente quebram. De qualquer modo, se caírem de uma altura mais elevada, podem se quebrar.

Se cuidadas conforme recomendamos, as luminárias terão uma durabilidade muito grande.

Não, a lâmpada da sua luminária tem uma potência baixinha, que só é suficiente para manter a pedra aquecida.

Não! Os nossos bichinhos amam as luminárias. Adoram ficar por perto e desfrutar das boas energias que ela gera.

Todo sal absorve umidade. Quando a luminária está acesa, o calor da lâmpada transforma essa umidade em íons negativos (ionização). Esse processo promove a conservação do sal. Sem a fonte de calor, a luminária mina a umidade e perde sal.

A saúde do cristal de sal é estar sempre seco. Mantenha sua luminária acesa diariamente, pelo menos 8h/dia e idealmente 24h/dia. Dependendo do volume de umidade do ambiente, ela pode precisar de mais ou menos tempo de exposição ao calor para processar essa umidade. Caso esteja minando água, deixe-a mais tempo acesa.

Você pode deixar a sua luminária muito tempo acesa sem preocupação. Não há risco de super-aquecimento e seu consumo é bem baixo. O melhor aproveitamento dos benefícios dela seria sim deixá 24h por dia acesa, sempre ionizando o seu ambiente.

No entanto, não é necessário deixar ela 24h por dia acesa. Você pode acender uma parte do dia e apagar em outra parte. O tempo que ela precisa ficar acesa varia de acordo com o volume de umidade de cada local, por isso, ela pode precisar de mais ou menos tempo de exposição ao calor para processar essa umidade. Caso esteja minando água, deixe-a mais tempo acesa.

Caso faça uma viagem, a sua lâmpada queime ou deseje deixá-la apagada por mais de 24h, envolva a sua luminária no saco plástico que veio na embalagem (ou use um outro saco plástico grosso) e feche-o com arame de pão ou elástico para evitar que ela absorva umidade. Desta forma, ela pode ficar guardada por anos sem minar nenhuma umidade.

A instalação elétrica da sua luminária é bivolt, confira a voltagem da sua cidade (110v ou 220v) para a escolha da sua lâmpada. Caso precise mudar a voltagem da sua luminária, basta substituir a lâmpada por uma com a voltagem da sua nova região.

Provavelmente a sua luminária parou de acender por ter queimado a lâmpada. Isso é normal. A durabilidade delas varia de 3 a 6 meses. Veja abaixo como fazer a troca da lâmpada. Caso substitua a lâmpada e ela ainda assim não acenda, veja as soluções para ajustes na instalação elétrica abaixo.

As lâmpadas das luminárias são de filamento (modelo antigo), por isso, são mais sensíveis às variações nas corrente elétrica. Para proteger o filamento, sempre desligue a luminária pelo interruptor e não puxe direto da tomada. Caso haja muita variação na corrente elétrica da sua região, recomendamos usar um filtro de linha (extensão) para estabilizar a corrente que chega na luminária. Recomendamos as marcas Sadokin ou Ourolux pela sua maior durabilidade.

Ao comprar uma nova lâmpada, atente-se que ela seja E-14 (bocal mignon), de 15W (para as luminárias de até 6kg) e de 40W (para as luminárias acima de 6kgs).

É muito importante que a lâmpada seja INCANDESCENTE, pois somente essas emitem calor e promoverão a ionização e a conservação do seu cristal de sal.

Se desejar, você pode usar uma lâmpada colorida que siga as mesmas especificações acima. Normalmente as lâmpadas coloridas e-14 são chamadas de “chupeta” e podem ser encontradas em lojas de peças automotivas.

Você encontra essas lâmpadas para comprar em lojas de material de construção, de elétrica, lojas de iluminação e bazares de utilidade. Recomendamos as marcas sadokin ou ourolux pela sua maior durabilidade.

Para trocar a lâmpada, basta desligar da tomada e puxar devagar o fio junto à borracha e ao retirar o parte elétrica, desrosquear a lâmpada e substituir a mesma e em seguida, colocar novamente e nivelando a borracha ao furo.

Caso troque a lâmpada e a nova não acenda ou fique apagando e acendendo, há um problema de mal contato. As lâmpadas são feitas por variados fabricantes, por isso, podem ter diferentes tamanhos da parte de alumínio que rosqueia e podem não estar tocando nas peças metálicas na parte interna do soquete.

Para melhorar esse contato, você pode levantar levemente a peça metálica que fica em posição horizontal, mantendo ela ainda deitada. Atenção para não levantar completamente essa parte metálica, pois caso ambas estejam em posição vertical, haverá um curto circuito.

Se o interruptor estiver dando mal contato, você pode apertar levemente os dois parafusos que ficam na parte traseira do interruptor. Cuidado, pois caso seja apertado demais, pode haver interrupção do contato.

Caso acumule sal na base de madeira, raspe o excesso com uma faca e depois retire o que restante esfregando com uma escova de cerdas macias. Para realçar a madeira da base aplique cera esporadicamente.

As luminárias de sal rosa do Himalaia são um produto fantástico. Elas decoram o espaço e promovem um encantamento em quem as conhece. Torne-se um revendedor e impulsione seus rendimentos, compartilhando saúde e bem-estar para as pessoas.

Para lojistas, as luminárias de sal além de serem um bom produto, com giro rápido, são muito decorativas e deixam o espaço com uma luz especial, favorecendo as atividades e deixando uma marca em quem entrar.

Lojas de produtos naturais, de bem estar e de sáude, hotéis, pousadas e escolas de yoga são estabelecimentos ideais para as luminárias de sal, tanto para a decoração dos ambientes quanto para a revenda.

O pedido de atacado mínimo é de oito (08) luminárias.
Envie um email para [email protected] ou fale conosco pelo whatsapp que iniciaremos uma conversa sobre as condições de revenda. Temos preços diferenciados para atacado.

Deixe um comentário